sexta-feira, 6 de junho de 2014

Reticências II

Eu vejo teus olhos me vendo
E percebo cada olhar teu.
Então leio o que tu me diz
Nas reticências dos teus sorrisos — 
pensamentos que flutuam 
(escapa um aqui, escapa outro ali)
mas que não ousa pronunciar.

Eu te agradeço por se calar
e apenas sorrir daí
porque daqui
eu não saberia não responder à altura
e veríamos mais do que nossos olhos se vendo.

E ambos não saberíamos mais o que dizer ou olhar.