domingo, 30 de outubro de 2016

Hoje eu acordei querendo abraçar você

Hoje eu acordei querendo abraçar você
E deixar minha cabeça pousada no seu ombro
Comigo me perguntando bobo se ela não está pesando
E ficar assim pertinho ouvindo sua respiração
Com a minha
Sentindo os seus cabelos
Que de leve sempre me fazem cócegas no nariz

Não dói quando o meu braço fica doendo
Depois de não sei quanto tempo
Comigo deitado de lado, sobre ele, de frente para você
Com o meu outro braço, num abraço, sobre o seu tronco
A minha mão, livre, sobre o seu peito
A minha perna, solta, sobre a sua coxa
O meu corpo, sólido, junto ao seu...

Seria bom se toda manhã começasse assim
E assim, devagarzinho, voltássemos a dormir
Naquela meia hora em que abrimos os olhos e já passou
E reclamamos juntos do Tempo
Pedindo ao mundo só mais 5 minutos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Sentido da vida

      A palavra “sentido” felizmente tem dois sentidos: “significado” e “direção”. Acho que uma das perguntas mais sem resposta é aquela “Qual é o sentido da vida?”. Bem, é sem resposta quando você procura por um significado da vida. Qual é o significado da vida? Acho difícil porque o significado é uma outra coisa, paralela, que representa, que pode ficar no lugar do que ele, o significado, justamente significa. “Qual o significado da palavra ‘girassol’? É essa outra coisa aqui que eu vejo, que é amarela e marrom, aqui plantada na terra.” 
  O significado da vida... O que é essa outra coisa que representa a vida? Muitos dão as suas respostas, falando de coisas muito profundas e pouco claras, coisas impalpáveis e muito distantes, respostas tão arbitrárias e próprias quanto são as suas vidas. 
  Qual é o significado da minha vida? Eu não sei, porque eu simplesmente a vivo. O significado da minha vida é vivê-la, viver a minha e não a de outra pessoa. Viver, tão cheio de potencialidades e ao mesmo tempo tão frágil, é o que me resta fazer, pois este corpo vivo sou eu.
  Viver, sim... mas “Como viver?”. Por isso talvez seja mais produtivo se eu me perguntar pelo “sentido da vida” entendendo o sentido como “direção”... tal como a gente perguntaria “Qual o sentido dessa estrada, qual é o rumo dela?”. Escolher um rumo também não é fácil, mas é coisa que dá para ser feita abrindo os olhos e olhando ao redor. Ou, se a estrada está muito incerta, procurando dicas em mapas ou pistas com os outros. Por isso eu não me escavo pelas profundezas do meu ser. Não faço mineração para encontrar o tal sentido oculto da vida, nesse claustrofóbico empenho de buscar algo escondido sob a lama do passado. 
  Como o mestre Caeiro, sou andarilho. Prefiro ver o que tenho agora e caminhar adiante de olhos abertos. Quando quero ver o sol nascer, me volto para o leste, e ele brilha de manhã. Quando não, me volto para oeste e vejo o vermelho do poente. À noite, porque há sempre momentos de escuridão, olho o Cruzeiro do Sul ao sul e sigo, e se quero um norte, sei que o sul não é o que quero, e não paro de caminhar e tento ver o que tenho ao redor. Minha vida é trilhar, meu sentido é o horizonte.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Hoje eu não quero te ver

Hoje eu não quero te ver,
Porque hoje eu não te quero com os olhos.
Olhar a água só faz a sede aumentar...

Eu não quero te ver hoje,
Porque hoje eu te quero com a minha boca.
E não é para falar...

Não quero te ver de frente,
Porque hoje, meu amor,
Eu quero as suas costas olhando pra mim...

Hoje eu te quero com as mãos,
Com as minhas mãos na sua cintura
E a sua colada na minha...

Hoje eu quero o seu corpo, o seu todo, o seu gosto.